Análise: The House of the Dead – Overkill (Nintendo Wii)

Mioooolos! Fala galera… A análise dessa sexta-feira está em clima totalmente trash! Volto a falar de um jogo hoje, The House of the Dead: Overkill é perfeito para quem gosta de zumbis, muito tiroteio e um roteiro a lá filmes de Quentin Tarantino. Dá o play, traça!

Ficha Básica
Produtora:
Sega
Ano: 2009
Gênero: Shooter em Trilhos
Jogadores: Até 2 jogadores
Censura: 18 anos

———
– Todas
as cenas do jogo são marca registrada de seus proprietários.

Photobucket

  • Tarta

    Perfeita a Analise Fly.

    Realmente o jogo é bem voltado pro grindhouse muito bom mesmo.

    Eu vi ali que é um jogo da SEGA e por conhecidencia eu to jogando um titulo da mesma o Yakuza. Pude perceber nas cute scenes dessa analise uma coisa que eu tinha percebido do Yakuza a SEGA não economiza nos palavrões hehehehe. Muito legal.

    Sim cara. Vou na sua casa dar uma jogadinha nesse game hehehehehe.

    abraço

    • Hahaha

      Pô, esse jogo, se não me engano, entrou pro guines por ser o game que mais foi falado a palavra “fuck”. Olha só esse vídeo com uma compilação de vários palavrões falados:

      http://www.youtube.com/watch?v=Jl6pWBAYQx0

      • Fábio

        “modafucking everything…”

        PQP, esse jogo deve ser muito bom hahaha

  • Ah, esse jogo é bom mesmo!
    Gostei muito de jogar, ótima análise!
    😉